Arquivo da categoria: Para rir um pouco

Profissão Mãe?

Em tempos de dia das mães (não se esqueçam, crianças, é domingo que vem!), a Tribo do Mouse mandou um post muito bom sobre o assunto: profissão mãe.

Conhecer o mercado

CONFESSIONÁRIO, CHEGA O PEQUENINO JOÃOZINHO E CONFESSA:

– Padre, eu pequei. Fui seduzido por uma mulher casada que se diz séria.

– És tu, Joãozinho?

– Sou, Sr. Padre, sou eu.

– E com quem estivestes tu?

– Padre, eu já disse o meu pecado…. Ela que confesse o dela.

– Olha, mais cedo ou mais tarde eu vou saber, assim é melhor que me

digas agora!…

Foi a Isabel Fonseca? Perguntou o padre.

– Os meus lábios estão selados, disse Joãozinho.

– A Maria Gomes?

– Por mim, jamais o saberá…

– Ah! A Maria José?

– Não direi nunca!!!

– A Rosa do Carmo?

– Padre, não insista!!!

– Então foi a Catarina da pastelaria, não?

– Padre, isto não faz sentido.

O Padre rói as unhas desesperado e diz-lhe então:

– És um cabeça dura, Joãozinho, mas no fundo do coração admiro a tua reserva.

Vai rezar vinte Pais-Nossos e dez Ave-Marias… Vai com Deus, meu filho…

Joãozinho sai do confessionário e vai para os bancos da igreja.

O seu amigo Maneco desliza para junto dele e sussurra-lhe:

– E então? Conseguiu a lista?

– Consegui. Tenho cinco nomes de mulheres casadas que dão para todo mundo.

Aprenda:

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, COMEÇA COM A ANÁLISE DO MERCADO!

Por e-mail de Diogo Torquato

Recordação

Para quem não acredita que esse professor mala já lecionou com cabelos compridos e tinha o carinhoso apelido de “Prof. Cabelo” ou “Jesus”, aqui está a prova, enviada por e-mail pelo Jorge Trimboli, da turma de Gestão de Negócios e Informação, da Univ. Guarulhos, em 2004. Atualmente, o Jorge está com a família nos EUA, a trabalho.

Saudades dessa turma…

junior-2005-02-24

Sem cair em pieguice, mas esse tipo de coisa, para alguém apaixonado pela educação como sou, não tem preço (será que consigo aparecer no comercial da Mastercard?)

Upgrade no currículo

  • Especialista em Marketing Impresso (boy do xerox).
  • Supervisor Geral de Bem-Estar, Higiene e Saúde (faxineiro).
  • Oficial Coordenador de Movimentação Interna (porteiro).
  • Oficial Coordenador de Movimentação Noturna (vigia).
  • Distribuidor de Recursos Humanos (motorista de ônibus).
  • Distribuidor de Recursos Humanos VIP (motorista de táxi).
  • Distribuidor Interno de Recursos Humanos (ascensorista).
  • Diretora de Fluxos e Saneamento de Áreas (a tia que limpa o banheiro).
  • Especialista em Logística de Energia Combustível (frentista).
  • Auxiliar de Serviços de Engenharia Civil (peão de obra).
  • Segundo Auxiliar de Serviços de Engenharia Civil (coitado…).
  • Especialista em Logística de Documentos (office-boy).
  • Especialista Avançado em Logística de Documentos (moto-boy).
  • Consultor de Assuntos Gerais e Não Específicos (vidente).
  • Técnico de Marketing Direcionado (distribuidor de santinho nas esquinas).
  • Especialista em Logística de Alimentos (garçom).
  • Coordenador de Fluxo de Artigos Esportivos (gandula).
  • Distribuidor de Produtos Alternativos de Alta Rotatividade (camelô).
  • Técnico Saneador de Vias Publicas (gari).
  • Especialista em Entretenimento Masculino (prostituta).
  • Especialista em Entretenimento Masculino Sênior (prostituta de luxo).
  • Dublê de Especialista em Entretenimento Masculino (travesti).
  • Supervisor dos Serviços de Entretenimento Masculino (cafetão).
  • Técnico em Redistribuição de Renda (ladrão)

Enviado por e-mail por Priscilla Munhoz

Matrix XP

Diploma a venda

Não é o caso de nenhum de vocês que acompanham esse blog, mas se souberem de alguém que tenha interesse, tem um diploma de doutorado à venda na Suiça em nome de um tal de (para continuar, clique aqui)

Oferta e Demanda

calvin-on-supply-and-demand1

Fonte: Tiago Luchini

Será mesmo que você é substituível?

Será mesmo que você é substituível?

Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua
equipe de gestores.

Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um ameaça:
“ninguém é insubstituível”.

A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao
silêncio. Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça. Ninguém
ousa falar nada. De repente um braço se levanta e o diretor se prepara
para triturar o atrevido:

– Alguma pergunta?

– Tenho sim. E o Beethoven?

– Como? – O encara o gestor confuso.

– O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu o Beethoven?

Silêncio.

Ouvi essa estória esses dias contada por um profissional que conheço e
achei muito pertinente falar sobre isso…

Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas,
no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da
organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no
lugar.

Quem substitui Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank
Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os
Beatles? Jorge Amado? Pelé? Paul Newman? Albert Einstein? Picasso?
Zico?

Todos esses talentos marcaram a História fazendo o que gostam e o que
sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar. E, portanto,
são sim insubstituíveis.

Cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado
para alguma coisa. Está na hora dos líderes das organizações reverem
seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da
sua equipe focando no brilho de seus pontos fortes e não utilizando
energia em reparar ‘seus gaps’.

Ninguém lembra e nem quer saber se Beethoven era surdo, se Picasso era
instável, Caymmi preguiçoso, Kennedy egocêntrico, Elvis obsessivo… O
que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de
arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus
talentos.

Cabe aos líderes de sua organização mudar o olhar sobre a equipe e
voltar seus esforços em descobrir os pontos fortes de cada membro.
Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto.

Se seu gerente / coordenador, ainda está focado em ‘melhorar as
fraquezas de sua equipe corre o risco de ser aquele tipo de líder que
barraria Garrincha por ter as pernas tortas, Albert Einstein por ter
notas baixas na escola, Beethoven por ser surdo e Gisele Bündchen por
ter nariz grande. E na gestão dele o mundo teria perdido todos esses
talentos.

Quando o Zacarias dos Trapalhões faleceu, ao iniciar o programa
seguinte, o Dedé entrou em cena e falou mais ou menos assim:

“Estamos todos muitos tristes com a partida de nosso irmão Zacarias…
e hoje, para substituí-lo, chamamos:.. Ninguém… pois nosso Zaca é
insubstituível”

Portanto nunca esqueça: Você é um talento único… Com toda certeza
ninguém te substituirá.

Tenha um ótimo dia.

Moral da história, se voce não tiver certeza que possui seu talento
desenvolvido na mesma proporção de Beethoven, Tom Jobim, Ayrton Senna,
Ghandi, Frank Sinatra, Garrincha, Santos Dumont, Monteiro Lobato,
Elvis Presley, Os Beatles, Jorge Amado, Pelé, Paul Newman, Albert
Einstein, Picasso e Zico, continue ouvindo seu diretor.

Enviado por Cristiane Chaves (e-mail)

É o fim?

cartoonish1Fonte: Tiago Luchini

Recomendo

Meu amigo Tiago Luchini escreveu nesses ultimos dias uma série de posts que recomendo fortemente a leitura. Seguem alguns:

Muita velha: sobre ficção e a crise americana (ou seria global?)

Dúvida cruel: com quem você se parece?

Um idiota a menos: sobre educação, cultura e futuro.

É uma pedra?: o ‘advento’ do iPhone.


Postagem orignal: Recomendo